E  Você é Fluente em Banconês?

 

 

 

  • Que cuidados devo ter na escolha do Banco?

Comece por contactar o seu banco, faça valer a sua posição de cliente e negoceie.

Simule diversos montantes para vários prazos. Informe-se sobre as condições de financiamento, como comissões, seguros e impostos legais, e utilize a taxa anual efectiva (TAE) como principal indicador comparativo.

Além da simulação para uma subida de 1 e 2% da taxa de juro, peça cálculos para 3 ou 4 por cento. Deste modo, tem melhor a noção do aumento da prestação caso a Euribor volte aos valores de 2008. Se concluir que o esforço é considerável para suportar a prestação, faça nova simulação para um prazo mais alargado. Quanto mais longo for o prazo, mais caro fica o empréstimo.

 

  • O que é a Taxa de Esforço?

Este indicador traduz o peso dos empréstimos nos rendimentos do agregado. A maioria dos bancos não concede empréstimos a clientes com uma taxa de esforço superior a 30 ou 40 por cento. Vejamos o exemplo de uma família com o rendimento mensal líquido de 2 mil euros e prestação mensal do carro de 250 euros. Na simulação do crédito à habitação, uma prestação mensal de € 500 euros traduz uma taxa de esforço de 37,5% [(250 + 500) ÷ 2 000].

 

  • O que é a TAN?

A TAN (taxa de juro anual nominal) permite calcular os juros do empréstimo através do prazo e do montante do empréstimo. Se a taxa for fixa, a TAN é indicada pelo banco. Se for variável, a TAN resulta da adição do indexante com o spread.

 

  • Qual a diferença entre a taxa fixa e a variável?

A taxa fixa não se altera no período estabelecido entre si e o banco. Se, por exemplo, tiver acordado uma taxa fixa de 5 anos, a prestação mensal não se modificará, mesmo que as taxas de juro na zona euro sofram variações. Nos mais recentes estudos, concluímos que os produtos de taxa fixa não são atractivos, pois as taxas de juro são elevadas.

A taxa variável é mais usual nos contratos de crédito à habitação. Regra geral, é indexada à Euribor a 3, 6 ou 12 meses e revista trimestral, semestral ou anualmente, respectivamente. Como a duração da maioria dos empréstimos é de 20 ou 30 anos, no final da amortização, as diferenças entre estes indexantes não deverão ser muito significativas.

 

  • O que é o Spread?

O spread equivale, grosso modo, à margem de lucro do banco nos contratos de crédito à habitação. Trata-se de um fator comparativo importante na escolha do banco. Os bancos fazem variar o spread em função do montante do empréstimo, da percentagem de financiamento e, nalguns casos, do prazo. Mas o envolvimento do cliente, como o património financeiro, domiciliação do ordenado e produtos contratados, entre outros, também pode persuadir o banco a baixar a margem de lucro.

 

  • Quais os principais encargos?

Prepare-se para um conjunto de encargos iniciais, que variam com o banco. É caso de comissões de análise ou de estudo e de abertura de processo (a terminologia também varia). Muitas vezes, estas comissões incluem as despesas de avaliação. O banco exige sempre um relatório com a avaliação do imóvel, realizado por um técnico.

Serviço de solicitadoria: a maioria dos bancos disponibiliza, opcionalmente, o acompanhamento do processo, incluindo parte ou a totalidade dos procedimentos burocráticos na conservatória do registo predial, serviço de finanças, câmara municipal (quando se justifiquem) e cartório notarial.

Conte também com o pagamento do imposto municipal sobre os imóveis (IMI) e imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis (IMT).

 

  • Como reduzir os encargos com juros?

Quando possível, amortize antecipadamente com recurso, por exemplo, ao saldo da conta poupança-habitação ou reduza o prazo do empréstimo.

Atenção à penalização do banco por amortizar total ou parcialmente: corresponde a uma percentagem sobre o capital em dívida (0,5%, se a taxa do crédito for variável, ou 2%, para a fixa).

 

  • O que é a TAE?

A TAE (taxa anual efectiva) reflecte todos os encargos do empréstimo, excepto os prémios dos seguros exigidos pelo banco.

É a taxa mais fiável para comparar as várias propostas de crédito: a que apresentar a TAE mais baixa corresponde ao empréstimo mais barato.

 

  • Quais os seguros exigidos?

O seguro de vida, que inclui as coberturas de morte e invalidez, com um capital idêntico ao valor do empréstimo, para garantir a liquidação da dívida, caso o titular fique incapacitado para trabalhar ou venha a falecer.

O seguro multirriscos-habitação, para cobrir os danos no imóvel em caso de incêndio ou de sismo, por exemplo. Este seguro tem de ser contratado pelo valor de reconstrução do imóvel, mas há bancos a exigir um valor superior.

Em princípio, pode escolher livremente a seguradora com as melhores condições.

Alguns bancos oferecem redução no spread em troca da contratação do seguro em companhias associadas.

 

 

  • O que significa Euribor?

Euribor é a junção das palavras Euro Interbank Offered Rate. As taxas Euribor baseiam-se na média das taxas de juros praticadas em empréstimos interbancários em euros por cerca 25/40 bancos proeminentes europeus (o painel de Bancos). Para a determinação das taxas Euribor são excluídos 15 por cento tanto das percentagens mais altas como das percentagens mais baixas relatadas. Todos os dias úteis, às 11:00 horas Hora Central Europeia, as taxas de juro Euribor são divulgadas e transmitidas a todas as partes participantes e imprensa.

Quando se fala da Euribor, costuma-se muitas vezes dizer A taxa Euribor, como se existisse uma taxa de Euribor. No entanto isto não está correcto: em total existem 8 taxas de juros Euribor todas elas com um prazo diferente (anteriormente, havia 15). Veja taxas Euribor actuais para uma sinopse de todas as 8 taxas. 

 

 

Desde quando existe a Euribor?

A Euribor existe desde 1999, o ano em que o Euro foi introduzido. Antes dessa época também já se publicava diariamente uma taxa semelhante chamada Aibor. Para além desta taxa, também existiam em vários países taxas de juros locais, como a PIBOR na França e a Fibor na Alemanha. 

 

O que determina o nível das taxas Euribor?

O nível das taxas de juros Euribor é, em primeiro lugar, obviamente determinado pelo volume de oferta e procura. Afinal de contas, trata-se de uma taxa de juro do mercado que é formada por um grande número de bancos diferentes. No entanto existem uns factores externos que influenciam em grande medida o nível da taxa de juro Euribor. Um destes factores são as circunstâncias económicas, como por exemplo, o crescimento económico e o nível da inflação. 

 

Porque é seguida com tanta atenção a Euribor?

A taxa Euribor é considerada como a taxa de base para vários produtos de taxas de juros (derivados), como por exemplo, futuros de taxas de juros, swap de taxas de juros e contratos de garantias de taxas. A Euribor também é bastante utilizada como taxa de referência em empréstimos hipotecários e contas poupança.

Até existem empréstimos hipotecários em que a taxa de juros é composta por uma taxa Euribor e acrescida de um suplemento fixo. 

Quais são os bancos europeus que fazem parte do painel?

O painel de Bancos que determina as taxas Euribor é composto por bancos com uma notação de solvabilidade extremamente boa.

A escolha dos bancos, que são solicitados a proporcionar os seus dados para a determinação da Euribor, é controlada por uma "Comissão Directora" da Federação de Bancos Europeus. "BANKAFIA" Para adquirir uma lista completa, Clique aqu

 

Euribor e Libor?

As taxas Euribor baseiam-se na média das taxas de juros praticadas em empréstimos interbancários em euros. LIBOR é a taxa média interbancária contra a qual um grupo representativo de bancos se propõe efectuar empréstimos mutuamente no mercado monetário de Londres. Quanto a Euribor são para LIBOR vários períodos de duração diferentes, de overnight a 12 meses. A maior diferença é que LIBOR aplica-se a moedas diferentes (incluindo dólar americano, livre sterling britannique e euro europeu).

Para adquirir informação referencial detalhada sobre a LIBOR, clique  aqui 

 

 

 

       Serviços Financeiros